O trabalho é realizado pela GM – Gerência de Manutenção de Materiais e Equipamentos da Rioluz

Segundo dados da empresa, no primeiro bimestre de 2019, foram recuperados 2108 materiais, entre projetores, luminárias, lâmpadas e reatores, danificados pela ação do tempo ou pelo vandalismo.

Somam-se a isso os 1084 serviços de carpintaria, pintura e serralheria, executados pela GM, numa iniciativa que gera uma economia significativa aos cofres públicos.

A Rioluz encerrou o ano de 2018 com mais de 15 mil serviços de recuperação de materiais executados. O trabalho de engenharia reversa é realizado pela Gerência de Manutenção de Materiais e Equipamentos, da Rioluz, criada desde a fundação da empresa.

Todos os materiais recolhidos pelas sete gerências regionais do município do Rio de Janeiro são enviados à GM onde é realizada uma triagem para serem avaliados, sendo descartados apenas os considerados sem utilidade.

A engenharia reversa é uma prática sustentável que contribui para a redução da exploração de recursos minerais da natureza. Além disso, o descarte de materiais como lâmpadas queimadas é realizado por meio de envio a empresas especializadas em reciclagem e descontaminação.

 


Compartilhe